Leveduras Personalizadas

Leveduras com habilidade melhorada que apresentam alta persistência e dominância.

As leveduras personalizadas são selecionadas entre as que aparecem na fermentação. Como são isoladas e reintroduzidas na própria usina, estão adaptadas ao processo da unidade, por isso apresentam persistência, dominância e podem ter suas habilidades melhoradas para trabalhar de acordo com as particularidades da usina. Além das personalizadas, a Fermentec ampliou as pesquisas com as leveduras selecionadas. Por meio da técnica da cariotipagem e da análise do DNA mitocondrial está sendo possível descobrir o parentesco entre as leveduras mais eficientes e chegar às novas linhagens que possuem maior permanência na fermentação. É o caso da levedura PE-2, uma das mais utilizadas atualmente no Brasil. Já foram selecionadas sua filha, neta e bisneta, aumentando a variedade de leveduras de qualidade.

O uso de leveduras personalizadas, mais robustas, reduz as perdas causadas por contaminações bacterianas quando comparadas com as leveduras de panificação. Estas perdas podem chegar a R$ 170 mil por dia para uma destilaria que produz 800 mil litros de álcool diariamente.

Conheça as principais leveduras selecionadas pela Fermentec:

Levedura PE-2

A cepa Saccharomyces cerevisiae PE-2 é utilizada na fermentação do mosto da cana e de melaço com reciclos e tolerante a teores alcoólicos de até 15% (v/v). Baixa formação de espuma, alta capacidade de implantação, resistência e dominância na fermentação são suas principais características. A PE-2 também resiste a longas paradas na fermentação e processo de reciclo. O estudo do genoma da PE-2 feito em 2009 revelou a capacidade de adaptação da levedura a diversas condições. Seus genes apresentam uma plasticidade que permite o surgimento de variantes mais adaptadas às diferentes condições dos processos fermentativos. 

Levedura CAT-1

Junto com a PE-2 a CAT-1, são as leveduras mais utilizadas na fermentação do etanol brasileiro. O sequenciamento total de seu genoma, concluído em 2007, mostrou um número maior de genes relacionados ao metabolismo das vitaminas B1 e B6, que aumentam a competitividade e garantem sua predominância em relação às leveduras selvagens e de laboratório. Com isso, a fermentação com a levedura CAT-1 produz pouca espuma, flocula menos e reduz o consumo de insumos. A levedura também se mostra tolerante ao alumínio do mosto de caldo de cana-de-açúcar reduzindo os prejuízos na fermentação alcoólica. Esta linhagem é uma das soluções recomendadas pela Fermentec para aquelas destilarias autônomas que enfrentam problemas com alumínio no mosto.

Levedura FT858L

A FT858L é a linhagem que tem apresentado as maiores taxas de dominância e persistência entre as leveduras selecionadas.

A análise do DNA mitocondrial da levedura mostrou seu parentesco com a linhagem da PE-2. A FT858L é menos sensível às mudanças no pH, mais tolerante ao tratamento ácido e ao elevado teor alcoólico. Assim como a CAT1, a levedura FT858L também se mostrou tolerante ao alumínio do mosto de caldo de cana sendo igualmente recomendada para reduzir os problemas causados por este metal na fermentação. Entre as leveduras industriais disponíveis comercialmente a FT858L é recomendada para fermentações de milho e sorgo, já que metaboliza a maltotriose, assim como para mosto e melaço.

FERMEL

A levedura selecionada para fermentações de mostos a base de melaço, água ou melaço e caldo. Esta levedura é tolerante ao tratamento ácido e fermentações com alto teor alcoólico, possui rápida recuperação após as paradas do processo e alta velocidade de fermentação. Levedura muito robusta, suporta oscilações no processo industrial de fermentação etanólica.

Fale Conosco